• Nayara Reynaud

Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020 | Veja a lista completa dos finalistas

Atualizado: Out 12


Apesar das incertezas deste ano, de modo geral e especificamente na área, foi realizado neste domingo, 11 de outubro, o 19º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2020, com a transmissão do evento pela TV Cultura, a partir das 21h30, substituindo a tradicional festa que reúne o setor audiovisual brasileiro, por conta da situação atual da pandemia de Covid-19. A cerimônia especial contou com as apresentadoras Marina Person e Adriana Couto anunciando ao vivo os nomes dos vencedores dos Troféus Grande Otelo – que serão entregues depois, diretamente na casa dos ganhadores do evento que agracia as melhores produções do ano passado e os profissionais envolvidos nela. E confirmando o que a lista de indicados à premiação promovida pela Academia Brasileira de Cinema, divulgada em 27 de agosto, já demonstrava, o filme Bacurau (2019), dirigido por Kléber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, foi eleito o Melhor Longa de Ficção e totalizou seis prêmios – Direção, Roteiro Original, Silvero Pereira como Melhor Ator, Montagem Ficção e Efeito Visual completam o rol – entre as 15 indicações que acumulava.


Logo na sequência, vem A Vida Invisível (2019), de Karim Aïnouz, que levou cinco troféus, com Fernanda Montenegro ganhando como Melhor Atriz Coadjuvante e o Roteiro Adaptado da produção sendo laureados junto das categorias de Fotografia, Direção de Arte e Figurino. A cinebiografia Simonal (2019), de Leonardo Domingues, que foi premiado pela sua direção estreante em longas, ocupa a posição seguinte, com quatro vitórias, incluindo a de Fabrício Boliveira em um empate com o colega de Bacurau. No voto popular, a força das fãs de Kéfera Buchmann garantiu a surpreendente escolha de Eu Sou Mais Eu (2019), de Pedro Amorim, como Melhor Filme. Outros destaques, em termos de franquia, foram Cine Holliúdy, que teve a sequência cinematográfica Cine Holliúdy – A Chibata Sideral (2018) duplamente vitoriosa junto de um prêmio para a série global Cine Holliúdy (2019), bem como a Turma da Mônica abocanhou um Grande Otelo com o longa live action Turma da Mônica – Laços (2019) e outro com a série animada Turma da Mônica Jovem (2019).


Aliás, entre as 32 categorias, mais uma vez se destacam a produção cinematográfica em vários gêneros, tanto ficções, documentários e animações, e formatos, com as premiações aos curtas, bem como a televisão, lembrada através das séries pelo segundo ano consecutivo, com a inclusão da inédita categoria para séries de ficção na TV aberta. Além disso, em vez de uma celebração individual, o Grande Prêmio homenageia coletivamente a indústria audiovisual e seus profissionais em um período difícil para o setor, tanto com o discurso inicial de Jorge Peregrino, atual presidente da Academia Brasileira, bem como com as apresentações musicais pré-gravadas, com Paulinho Moska cantando Luzia Luluza, música de Gilberto Gil; Francis Hime ao lado de Joyce Moreno para trazer a sua canção Cinema Brasil; e Pedro Luís, Teresa Cristina e Pedro Fonseca interpretando a composição de Chico Buarque, Quando o Carnaval Chegar – bem pertinente à premiação em que o documentário Estou me Guardando Para Quando o Carnaval (2019), de Marcelo Gomes, sagrou-se com dois troféus.


Veja abaixo os nomes de todos os vencedores e a lista completa de indicados ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020:

LONGAS-METRAGENS


MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO

Vencedor: Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles

(Produção: Emilie Natacha Lesclaux por Cinemascópio Produções Cinematográficas e Artísticas)

A Vida Invisível, de Karim Aïnouz

(Produção: Rodrigo Teixeira por RT Features)

Divino Amor, de Gabriel Mascaro

(Produção: Rachel Ellis por Desvia, Sandino Saravia Vinay por Malbicho Cine, Katrin Pors por Snowglobe, Maria Ekerhovd por Mer Film)

Hebe – A Estrela do Brasil, de Maurício Farias

(Produção: Carolina Kotscho, Clara Ramos, Fernando Nogueira, Heloisa Jinzenji e Renato Klarnet por Loma Filmes, Lucas Pacheco por Labrador Filmes e Claudio Pessutti por Hebe Forever)

Simonal, de Leonardo Domingues

(Produção: Nathalie Felippe por Pontos de Fuga Produções Artísticas)

MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

Vencedor: Estou me Guardando Para Quando o Carnaval, de Marcelo Gomes

(Produção: João Vieira Jr. e Nara Aragão por Carnaval Filmes e Marcelo Gomes e Ernesto Soto por Misti Filmes)

Alma Imoral, de Silvio Tendler

(Produção: Silvio Tendler e Ana Rosa Tendler por Caliban Produções Cinematográficas)

Amazônia Groove, de Bruno Murtinho

(Produção: Leonardo Edde por Urca Filmes, Bruno Murtinho por Bambu Filmes, Marco André por Parioca Filmes, Fernando Segtowick e Thiago Pelaes por Marahu Filmes)

Bixa Travesty, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman

(Produção: Claudia Priscilla e Kiko Goifman por Válvula Produções)

O Barato de Iacanga, de Thiago Mattar

(Produção: Deborah Osborn, Felipe Briso e Gilberto Topczewski por bigBonsai)

MELHOR LONGA-METRAGEM COMÉDIA

Vencedor: Cine Holliúdy – A Chibata Sideral, de Halder Gomes

(Produção: Mayra Lucas por Glaz Entretenimento e Halder Gomes ATC Entretenimento)

De Pernas Pro Ar 3, de Julia Rezende

(Produção: Mariza Leão por Morena Filmes)

Eu Sou Mais Eu, de Pedro Amorim

(Produção: Lara Guaranys, Marcus Baldini e Gustavo Munhoz por Damasco Filmes)

Maria do Caritó, de João Paulo Jabur

(Produção: Elisa Tolomeli por E.H. Filmes)

Minha Mãe É uma Peça 3, de Susana Garcia

(Produção: Iafa Britz por Migdal Filmes)

Socorro! Virei uma Garota, de Leandro Neri

(Produção: André Carreira por Camisa Listrada e Roberto Santucci por Panorama Filmes)


MELHOR LONGA-METRAGEM ANIMAÇÃO

Vencedor: Tito e os Pássaros, de Gustavo Steinberg, Gabriel Bitar e André Catoto

(Produção: Gustavo Steinberg por Bits Filmes)

A Cidade dos Piratas, de Otto Guerra

(Produção: Érica Maradona e Otto Guerra por Otto Desenhos Animados)

A Princesa de Elymia, de Silvio Toledo

(Produção: Silvio Toledo por Stairs Filmes)


MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL

Vencedor: Turma da Mônica – Laços, de Daniel Rezende

(Produção: Bianca Villar, Fernando Fraiha, Karen Castanho por Biônica Filmes, Charles Miranda, Cassio Pardini por Quintal Digital, Cao Quintas por Latina Estudio, Marcio Fraccaroli por Paris Entretenimento e Daniel Rezende)

Cinderela Pop, de Bruno Garotti

(Produção: Rodrigo Montenegro, Mara Lobão e Rodrigo Guimarães por Panorâmica Filmes)

Sobre Rodas, de Mauro D'Addio

(Produção: Beatriz Carvalho, Rafael Sampaio por Klaxon Cultura Audiovisual e Mauro D'Addio por Hora Mágica Filmes)


MELHOR FILME - VOTO POPULAR

Vencedor: Eu Sou Mais Eu, de Pedro Amorim

(Produção: Lara Guaranys, Marcus Baldini e Gustavo Munhoz por Damasco Filmes)


MELHOR DIREÇÃO

Vencedor: Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, por Bacurau

Daniel Rezende, por Turma da Mônica – Laços

Flavia Castro, por Deslembro

Gabriel Mascaro, por Divino Amor

Karim Aïnouz, por A Vida Invisível


MELHOR PRIMEIRA DIREÇÃO DE LONGA-METRAGEM

Vencedor: Leonardo Domingues, por Simonal

Alexandre Moratto, por Sócrates

Armando Praça, por Greta Claudia Castro, por Ela Disse, Ele Disse Dennison Ramalho, por Morto Não Fala

MELHOR ATRIZ

Vencedora: Andrea Beltrão, como Hebe Camargo por Hebe – A Estrela do Brasil

Bárbara Colen, como Tereza por Bacurau Carol Duarte, como Eurídice por A Vida Invisível Dira Paes, como Joana por Divino Amor Julia Stockler, como Guida por A Vida Invisível MELHOR ATOR

Vencedor: empate entre Fabrício Boliveira, como Simonal por Simonal, e Silvero Pereira, como Lunga por Bacurau

Daniel de Oliveira, como Stênio por Morto Não Fala Gregório Duvivier, como Antenor por A Vida Invisível Marco Nanini, como Pedro por Greta MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Vencedora: Fernanda Montenegro, como Eurídice por A Vida Invisível

Alli Willow, como Kate por Bacurau Bárbara Santos, como Filomena por A Vida Invisível

Karine Teles, como Forasteira por Bacurau

Sônia Braga, como Domingas por Bacurau MELHOR ATOR COADJUVANTE

Vencedor: Chico Diaz, como Veí Gois por Cine Holliúdy – A Chibata Sideral

Antonio Saboia, como Forasteiro por Bacurau

Caco Ciocler, como Santana por Simonal

Flávio Bauraqui, como Detetive Macedo por A Vida Invisível

Júlio Machado, como Danilo por Divino Amor

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Vencedores: Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, por Bacurau

Beatriz Seigner, por Los Silencios

Carolina Kotscho, por Hebe – A Estrela do Brasil Flavia Castro, por Deslembro

Gabriel Mascaro, Rachel Ellis, Esdras Bezerra e Lucas Paraizo, por Divino Amor

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Vencedores: Murilo Hauser, Karim Aïnouz e Inés Bortagaray, por A Vida Invisível (baseado no livro "A Vida Invisível de Eurídice Gusmão", de Martha Batalha)

Armando Praça, por Greta (adaptado da peça teatral “Greta Garbo, quem diria, acabou no Irajá”, de Fernando Melo)

L.G. Bayão, Lui Farias e Letícia Mey por Minha Fama de Mau (adaptado da obra “Minha Fama de Mau”, de Erasmo Carlos) Marçal Aquino, Fernando Bonassi, Dennison Ramalho e Marcelo Starobinas, por Carcereiros – O Filme (adaptado do livro “Carcereiros”, de Drauzio Varella)

Silvio Tendler e Nilton Bonder, por Alma Imoral (adaptado da obra “A Alma Imoral”, de Nilton Bonder)

Thiago Dottori, por Turma da Mônica – Laços (baseado na obra “A Turma da Mônica”, de Mauricio de Sousa e inspirado na graphic novel "Laços", de Victor Cafaggi e Lu Cafaggi)

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

Vencedora: Hélène Louvart, por A Vida Invisível

Azul Serra, por Turma da Mônica – Laços

Bárbara Alvarez, por A Sombra do Pai

Heloisa Passos, por Deslembro

Nonato Estrela, por Kardec Pedro Sotero, por Bacurau MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

Vencedor: Rodrigo Martirena, por A Vida Invisível

Cassio Amarante e Mariana Falvo, por Turma da Mônica – Laços

Claudio Amaral Peixoto e Helcio Pugliese, por Kardec

Thales Junqueira, por Bacurau

Yurika Yamazaki, por Simonal

MELHOR FIGURINO

Vencedora: Marina Franco, por A Vida Invisível

Antônio Medeiros, por Hebe – A Estrela do Brasil

Kika Lopes e Rosangela Nascimento, por Kardec Kika Lopes, por Simonal Rita Azevedo, por Bacurau MELHOR MAQUIAGEM

Vencedora: Simone Batata, por Hebe – A Estrela do Brasil

Anna Van Steen, por Kardec

Britney Federline, por Morto Não Fala

Rose Verçosa, por Simonal

Rosemary Paiva, por A Vida Invisível

Tayce Vale, por Bacurau

MELHOR MONTAGEM FICÇÃO

Vencedor: Eduardo Serrano, por Bacurau

Heike Parplies, por A Vida Invisível

Karen Harley, por Greta

Marcelo Junqueira e Sabrina Wilkins, por Turma da Mônica – Laços

Pedro Bronz e Vicente Kubrusly, por Simonal MELHOR MONTAGEM DOCUMENTÁRIO

Vencedora: Karen Harley, por Estou me Guardando Para Quando o Carnaval

Bruno Murtinho, por Amazônia Groove Célia Freitas e Paulo Mainhard, por Torre das Donzelas Diana Vasconcellos, por Fevereiros

Isabel Castro, por Meu Amigo Fela

Olivia Brenga, por Bixa Travesty MELHOR EFEITO VISUAL

Vencedores: Mikaël Tanguy e Thierry Delobel, por Bacurau

Claudio Peralta, por Kardec

Guilherme Ramalho, por Morto Não Fala

Hugo Gurgel, Guilherme Ramalho e Eduardo Schaal, por Carcereiros – O Filme

Marco Prado, por Turma da Mônica – Laços MELHOR SOM

Vencedores: Marcel Costa, Alessandro Laroca, Eduardo Virmond, Armando Torres Jr. e Renan Deodato, por Simonal

Evandro Lima, Tomás Alem, Bernardo Uzeda, Rodrigo Noronha e Gustavo Loureiro, por Kardec

Jorge Saldanha, Miriam Biderman, Toco Cerqueira e Reilly Steele, por Turma da Mônica – Laços

Laura Zimmerman, Waldir Xavier e Björn Wiese, por A Vida Invisível Nicolas Hallet, Ricardo Cutz e Cyril Holtz, por Bacurau

MELHOR TRILHA SONORA

Vencedores: Wilson Simoninha e Max De Castro, por Simonal

Antonio Pinto, por O Juízo

Benedikt Schiefer, Guilherme Garbato e Gustavo Garbato, por A Vida Invisível

Linn da Quebrada, por Bixa Travesty

Mateus Alves e Tomaz Alves, por Bacurau MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO

Vencedor: Parasita (Parasite | Coreia do Sul), de Bong Joon-ho

(Distribuição: Pandora Filmes)

Cafarnaum (Capernaum | Líbano), de Nadine Labaki

(Distribuição: Sony Pictures)

Coringa (Joker | EUA), de Todd Phillips

(Distribuição: Warner Bros. Pictures)

Dor e Glória (Dolor Y Gloria | Espanha), de Pedro Almodóvar

(Distribuição: Universal Pictures)

Era Uma Vez em... Hollywood (Once Upon a Time in Hollywood | EUA), de Quentin Tarantino

(Distribuição: Sony Pictures)

MELHOR LONGA-METRAGEM IBERO-AMERICANO

Vencedor: A Odisseia dos Tontos (La Odisea de los Giles | Argentina e Espanha), de Sebastián Borensztein

(Distribuição: Warner Bros. Pictures)

As Filhas do Fogo (Las Hijas del Fuego | Argentina), de Albertina Carri

(Distribuição: Vitrine Filmes)

Família Submersa (Familia Sumergida | Argentina e Brasil), de Maria Alché

(Coprodução brasileira: Bubbles Project | Distribuição: Esfera Filmes)

O Tradutor (Un Traductor | Cuba e Canadá), de Rodrigo Barriuso e Sebastián Barriuso

(Distribuição: Galeria Distribuidora)

Vermelho Sol (Rojo | Argentina e Brasil), de Benjamin Naishtat

(Coprodução brasileira: Desvia Produções | Distribuição: Vitrine Filmes)

CURTAS-METRAGENS

MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO

Vencedor: Ressurreição, de Otto Guerra

Apneia, de Carol Sakura e Walkir Fernandes

Céu da Boca, de Amanda Treze

Poética de Barro, de Giuliana Danza Só Sei que Foi Assim, de Giovanna Muzel MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

Vencedor: Viva Alfredinho!, de Roberto Berliner

Amnestia, de Susanna Lira Extratos, de Sinai Sganzerla Fartura, de Yasmin Thayná Olhos D'Água (Tuã Ingugu), de Daniela Thomas

MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO

Vencedor: Sem Asas, de Renata Martins

Alfazema, de Sabrina Fidalgo

Angela, de Marília Nogueira Baile, de Cíntia Domit Bittar , de Ana Flavia Cavalcanti e Julia Zakia

SÉRIES BRASILEIRAS

MELHOR SÉRIE DE ANIMAÇÃO NA TV PAGA OU PLATAFORMA OTT

Vencedora: Turma da Mônica Jovem (1ª temporada), direção geral de Mauricio de Sousa e Roger Keesse, e direção de Marcelo de Moura

(Produtora Brasileira Independente: Mauricio de Sousa Produções | Exibição: Cartoon Network)

Bobolândia Monstrolândia (1ª temporada), direção geral de Ale McHaddo e direção de Michelle Gabriel

(Produtora Brasileira Independente: 44 Toons | Exibição: Nickelodeon e TV Cultura)

Charlie, o Entrevistador de Coisas (1ª temporada), direção geral de Celia Catunda e Kiko Mistrorigo

(Produtora Brasileira Independente: Pinguim Content | Exibição: Discovery Kids) Lupita no Planeta de Gente Grande (1ª temporada), direção geral de Estêvão Queiroga e direção de Estêvão Queiroga, Glaubert Oliveira e Humberto Rodrigues

(Produtora Brasileira Independente: Petit Fabrik e Druzina Content | Exibição: TV Brasil e TV Cultura) Zuzubalândia (1ª temporada), direção geral de Mariana Caltabiano

(Produtora Brasileira Independente: Mariana Caltabiano Criações | Exibição: Cartoon Network, Boomerang e Tooncast América Latina)

MELHOR SÉRIE DE DOCUMENTÁRIO NA TV PAGA OU PLATAFORMA OTT

Vencedora: Quebrando o Tabu (2ª temporada), direção geral de Guilherme Melles e Katia Lund, e direção de Pio Figueiroa

(Produtora Brasileira Independente: Spray Filmes | Exibição: GNT)

#OFuturoÉFeminino (1ª temporada), direção geral de Luiza de Moraes

(Produtora Brasileira Independente: Base 1 Filmes | Exibição: GNT)

1968 O Despertar (1ª temporada), direção geral de Don Kent

(Produtora Brasileira Independente: Grifa Filmes | Exibição: Canal Curta) Bandidos na TV (1ª temporada), direção geral de Alex Marengo e direção de Daniel Bogado e Suemay Oram

(Produtora Brasileira Independente: Viva Filmes e Terra Vermelha | Exibição: Netflix) Diálogo Sobre o Cinema (1ª temporada), direção geral de Carlos Gerbase

(Produtora Brasileira Independente: Prana Filmes | Exibição: Cine Brasil TV)


MELHOR SÉRIE DE FICÇÃO NA TV PAGA OU PLATAFORMA OTT

Vencedora: Sintonia (1ª temporada), direção geral de Kondzilla, Guilherme Quintella e Felipe Braga, e direção de Kondzilla e Johnny Araújo

(Produtora Brasileira Independente: Los Bragas | Exibição: Netflix)

Aruanas (1ª temporada), direção geral de Estela Renner e direção de Estela Renner, Carlos Manga Jr, Bruno Safadi e Lucio Tavares

(Produtora Brasileira Independente: Maria Farinha Filmes | Exibição: Globoplay)

Coisa Mais Linda (1ª temporada), direção geral de Caito Ortiz e direção de Caito Ortiz, Julia Rezende e Hugo Prata

(Produtora Brasileira Independente: Prodigo Films | Exibição: Netflix) Detetives do Prédio Azul (D.P.A.) (12ª temporada), direção geral de Vivianne Jundi e direção de Michele Lavalle e Vinícius Reis

(Produtora Brasileira Independente: Conspiração | Exibição: Gloob) Sessão de Terapia (4ª temporada), direção geral de Selton Mello

(Produtora Brasileira Independente: Moonshot Pictures | Exibição: Globoplay e GNT)


MELHOR SÉRIE DE FICÇÃO NA TV ABERTA

Vencedora: Cine Holliúdy (1ª temporada), direção geral de Patricia Pedrosa e direção de Halder Gomes e Renata Porto D'ave

(Produtora Brasileira Independente: Glaz Entretenimento | Exibição: Globo)

Carcereiros (2ª temporada), direção geral de José Eduardo Belmonte

(Produtora Brasileira Independente: Gullane | Exibição: Globo) Elis Viver É Melhor do que Sonhar (1ª temporada), direção geral de Hugo Prata

(Produtora Brasileira Independente: Bravura Cinematográfica | Exibição: Globo) Segunda Chamada (1ª temporada), direção geral de Joana Jabace e direção de Joana Jabace, João Gomez, Ricardo Spencer e Breno Moreira

(Produtora Brasileira Independente: O2 Filmes | Exibição: Globo) Sob Pressão (3ª temporada), direção geral de Andrucha Waddington e direção de Mini Kerti

(Produtora Brasileira Independente: Conspiração | Exibição: Globo)


#Premiações #GrandePrêmiodoCinemaBrasileiro #Cinema #cinemanacional #TV #produçãodeTVnacional #curtas

 siga o NERVOS: 
 @nervossite 
  • Twitter - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • SoundCloud - Black Circle
  • Spotify - Black Circle
  • Deezer - Black Circle
  • iTunes - círculo preto
  • Branco RSS Icon
  • Twitter B&W
  • Facebook B&W
  • Instagram B&W

© 2020 por Nayara Reynaud. Criado a partir da plataforma Wix.