top of page
  • Foto do escritorEdu Fernandes

FEST ARUANDA 2022 | Lupicínio, o pai da sofrência


Cena do documentário catarinense Lupicínio Rodrigues – Confissões de um Sofredor (2022), de Alfredo Manevy, presente no 17º Fest Aruanda | Foto: Divulgação
Cena do documentário catarinense Lupicínio Rodrigues – Confissões de um Sofredor (2022), de Alfredo Manevy, presente no 17º Fest Aruanda | Foto: Divulgação

No palco do Fest Aruanda 2022, o diretor Alfredo Manevy apresentou Lupicínio Rodrigues – Confissões de um Sofredor (2022), seu primeiro longa-metragem, e disse: "Talvez a nossa música seja a maior contribuição que o Brasil deu ao mundo". Com isso justifica a relevância de sua obra ao mesmo tempo em que executa uma provocação. Sua frase reverbera no meio cinematográfico nacional, especialmente quando listamos os variados documentários musicais produzidos nas últimas décadas. São muitos títulos e ainda há um incontável rol de músicos e movimentos artísticos a quem o cinema deve um documentário.


Entre esses "esquecidos", estava até pouco tempo Lupicínio Rodrigues (1914-1974), compositor e cantor gaúcho que ficou muito reconhecido dentro do gênero samba canção, mas que passeia por muitos outros estilos musicais, como Confissões de um Sofredor deixa evidente. Por sua posição geográfica, a obra de Rodrigues trava fortes diálogos com o tango argentino, por exemplo. Sua obra também foi revisitada por representantes de outras frentes musicais, como os tropicalistas e divas da MPB, com números contemplados nas cenas do longa. Nesse quesito, podemos também ver uma pequena releitura em rap, demonstrando como o autor ainda está vivo do ponto de vista artístico, mesmo depois de mais de cem anos de seu nascimento e quase cinquenta anos de sua morte.


Se a geografia colaborou para a ponte entre Lupicínio e o tango, também pode ter influenciado no alto grau de dramaticidade de suas canções. O subtítulo do documentário dá conta dessa sua característica inescapável, além de tirar proveito da marca para humanizar seu objeto de estudo, retratado como um amante fervoroso e sofredor eloquente. Por outro lado, o filme não deixa passar em branco o fato de que Lupicínio era um homem de seu tempo, por vezes deixando escapar versos com teor toxicamente machista. Isso está pontuado, mas não é investido mais do que deveria.


Os focos de Confissões de um Sofredor estão na humanização do cantor e compositor, além da pertinência de sua obra nacionalmente. Numa época em que a concentração do eixo Rio-São Paulo era ainda mais exacerbada, Rodrigues conseguiu ter sucesso internacional, mesmo permanecendo a maior parte da sua vida em sua terra natal. A sua vida boêmia de Porto Alegre parece ser o verdadeiro propósito a qual se dedicou, quase como se as canções fossem apenas um subproduto dessa vivência. Na verdade, uma faceta alimentava a outra.


É preciso fazer uma ressalva, no entanto. O documentário conta com um belo time de depoentes, desde os que tiveram participação apenas na vida pessoal do protagonista, como falas de autoridade. Alguns nomes dispensam apresentação para a maioria esmagadora do público, como Gilberto Gil. Outros são reconhecidos por quem tem alguma intimidade com o meio musical, como o pesquisador Zuza Homem de Melo. Já alguns são mais obscuros. Todos recebem do filme o mesmo tratamento, que é a opção de não dar créditos de identificação para eles. A escolha, segundo o diretor, foi para não gerar ruído na comunicação, com letreiros sobre falas, para algo que ele julga menos importante do que o conteúdo dos depoimentos em si. O problema se dá porque esse caminho parece se afastar do objetivo informativo que o filme se impõe, de apresentar um nome fundamental da nossa música para um público que talvez só o conheça de nome, por vezes nem isso.

 

Duração: 96 min

Direção: Alfredo Manevy

Roteiro: Marcia Paraiso, Armando Almeida e Alfredo Manevy

Elenco: Lupicinio Rodrigues, Zuza Homem de Mello, Elza Soares, Gilberto Gil, Jards Macalé, Arthur de Faria, Valéria Barcellos, Marcelo Campos, Linda Batista e Mutinho (veja + no site)

Produção: Brasil / SC


0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

댓글


bottom of page