• Nayara Reynaud

A VASTIDÃO DA NOITE | Expandindo suas limitações

Atualizado: Jun 20


Na vastidão de conteúdos disponíveis hoje em dia nas mais diversas mídias e plataformas, projetos menores, mas ambiciosos como A Vastidão da Noite (The Vast of Night, 2019) podem se perder. Parecia ser este o destino do primeiro filme de Andrew Patterson, rodado em 2016. Após vários “nãos” de seleções de festivais, a produção de baixo orçamento conseguiu a sua vez no pequeno Slamdance Film Festival de 2019, onde ganhou o Prêmio do Público, até ser exibido na Sessão da Meia-Noite do Festival de Toronto, quando foi imediatamente adquirida pela Amazon, que agora lança o filme em seu streaming.


A história, escrita pelo cineasta sob o codinome James Montague, ao lado do roteirista também estreante Craig W. Sanger, não é necessariamente nova. Ambientada em uma pequena cidade do estado norte-americano do Novo México, nos anos 1950, a trama se passa inteiramente em uma noite na qual quase toda a população está em polvorosa pelo grande evento local, o jogo de basquete do time do colégio dali contra os rivais do vale que circunda a região. No entanto, a câmera e o interesse narrativo de Patterson estão voltados para os jovens que, em vez de assistir à partida, vão para seus postos de trabalho. Isso porque a rotina noturna da telefonista Fay Crocker (Sierra McCormick) e do locutor de rádio Everett Sloan (Jake Horowitz) são interrompidas quando ela percebe uma interferência na transmissão do programa dele e nas ligações que intermedia, despertando a curiosidade deles e do público sobre algo de estranho pairando sobre a fictícia Cayuga.


Se essa breve descrição já pode fazer você imaginar sobre o que o longa se trata, é preciso dizer que a indicação a Melhor Primeiro Roteiro no Spirit deste ano e o cair nas graças da crítica que o título ganhou agora no seu lançamento se devem não à originalidade de sua sinopse, mas à execução bem realizada e inventiva dela com um orçamento limitado. Na realidade, o cineasta usa essas limitações a seu favor, a exemplo das intervenções da estética televisiva que, além de um subterfúgio para filmar certas cenas, serve como homenagem à ficção científica e fantasia da época, mais notadamente com a série Além da Imaginação (Twilight Zone, 1959-64). Melhor ainda é como se explora a tensão narrativa com pouco, já há momentos em que somente a força dos diálogos constrói um imaginário para o espectador – reforçando este poder da palavra e, consequentemente, do rádio, como já comprovou Orson Welles, em 1938, na sua histórica transmissão radiofônica de A Guerra dos Mundos, livro de H. G. Wells publicado em 1898 – e que também é referenciada na sigla em inglês que dá nome à emissora local onde o protagonista trabalha.


Contudo, há momentos em que a obra faz o público esquecer qualquer restrição de produção, evocando sua força cinematográfica nos detalhes da direção de arte e na câmera percorrendo soturnamente aquela pequena cidade, especialmente no longo plano-sequência bem engendrado com o diretor de fotografia Miguel Ioann Littin Menz. E se o final um tanto óbvio chega a ser decepcionante frente a interessante e instigante condução da narrativa até então, o seu caráter resoluto é melhor do que um encerramento mirabolante e espetacularizado.


Até porque Patterson explora todas as lendas e mistérios envolvendo discussões sobre ufologia também em outros sentidos, desde a analogia para esses dois protagonistas que sonham com uma vida diferente fora daquele microcosmo à dose de crítica sobre quem eram os militares convocados a se arriscar nessas missões ultrassecretas contra um “inimigo” desconhecido e o passado da região em relação aos indígenas. Mais que isso, o filme é, tanto no seu discurso e nas percepções errôneas daqueles jovens quanto às previsões de tecnologias do futuro, quanto na sua própria existência e sucesso após várias recusas, um manifesto sobre a vastidão de coisas que vão além do nosso conhecimento limitado, não exatamente sobre o universo, mas sobre a vida terrena mesmo.

A Vastidão da Noite (The Vast of Night, 2019)

Duração: 90 min | Classificação: 14 anos

Direção: Andrew Patterson

Roteiro: Andrew Patterson (como James Montague) e Craig W. Sanger

Elenco: Sierra McCormick, Jake Horowitz, Gail Cronauer, Bruce Davis, Cheyenne Barton e Mark Banik (veja + no IMDb)

Plataforma: Amazon Prime Video (streaming)



#Cinema #AVastidãodaNoite #TheVastofNight #AndrewPatterson #ficçãocientífica #mistério #drama #CraigWSanger #NovoMéxico #anos50 #SierraMcCormick #JakeHorowitz #GailCronauer #BruceDavis #alienígena #adolescência #rádio #AGuerradosMundos1938 #AlémdaImaginação #SlamdanceFestival #FestivaldeToronto #Amazon #homevideo #streaming

 siga o NERVOS: 
 @nervossite 
  • Twitter - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • SoundCloud - Black Circle
  • Spotify - Black Circle
  • Deezer - Black Circle
  • iTunes - círculo preto
  • Branco RSS Icon
  • Twitter B&W
  • Facebook B&W
  • Instagram B&W

© 2020 por Nayara Reynaud. Criado a partir da plataforma Wix.