© 2019 por Nayara Reynaud. Criado a partir da plataforma Wix.

SANTOS DUMONT | Uma decolagem sem propulsão

10/11/2019

 

Pensando na importância que Alberto Santos Dumont tem para o Brasil e toda a defesa nacional de que ele é o verdadeiro pai da aviação no pioneirismo de seus balões dirigíveis e aviões com motor a gasolina e na decolagem autopropulsada do voo do 14-Bis, frente ao feito dos norte-americanos Irmãos Wright, é até estranho que só agora tenha sido realizada uma grande produção biográfica sobre o inventor brasileiro. Antes da minissérie Santos Dumont (2019), com João Pedro Zappa no papel-título e dirigida por Estevão Ciavatta e Fernando Acquarone, a sua figura surgiu apenas como coadjuvante no mesmo formato em Um Só Coração (2004), escrita por Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira, e teve seu grande momento retratado no curta de André Ristum, 14 Bis (2006). Chega a vez, portanto, de conhecer mais sobre a vida do aeronauta nos seis capítulos da atração que estreia neste domingo (10) na HBO.

 

É curioso, portanto, que na amostra apresentada no seu piloto, a produção tenha uma cara mais global, com jeito de minissérie ou novela das seis de época, do que um produto original do canal por assinatura no tratamento narrativo e visual dado a esta biografia. Isso, de modo algum é um demérito, já que, assim como esses trabalhos na TV aberta, o título possui ótimos valores de produção, especialmente na reconstituição histórica ambientada pela direção de arte, figurino e efeitos especiais. E, em termos técnicos, o que diferencia Santos Dumont deste tipo de material é a escolha estética da fotografia por emular a iluminação à luz de velas de um mundo pré-luz elétrica.

 

Contudo, o roteiro de Pedro Motta Gueiros e Gabriel Mariani Flaksman ainda não demonstra o desenvolvimento dos personagens em suas complexidades como, geralmente, se costuma ver nos originais nacionais da HBO. O nome deste primeiro episódio, Le Petit Santos, retirado do apelido dado pelos franceses ao brasileiro de baixa estatura, serve tanto para a apresentação do inventor e de sua vida em Paris quanto para as recordações de sua infância na fazenda de café em Ribeirão Preto que se intercalam na narrativa. A estrutura tenta estabelecer uma ordem complementar entre o menino, interpretado pelo ator Guilherme Garcia, que tinha uma ótima relação com o pai, de quem herdou o gosto pela mecânica, mas era um espírito diferente do resto da família, e o forasteiro que desafia o pensamento das autoridades e fabricantes aeronáuticos no círculo do aeroclube de Paris que repetem diversas vezes, em um texto um tanto repetitivo – e didático em outros momentos –, que ele é “completamente maluco” em francês, língua que domina boa parte dos diálogos.

 

Na ótima interpretação de Zappa, Santos Dumont aparece como um homem muito obstinado profissionalmente, mesmo quando ocorrem alguns fracassos em seus experimentos, mas alguns detalhes deixam subentendido uma falta de autoconfiança no trato pessoal, seja nas artimanhas de como disfarçava sua altura ou no flerte recolhido ao se encantar pela bela espanhola interpretada por Bruna Scavuzzi, após a rapidez do amigo mais expansivo, feito por Pedro Alves. Porém, além desses vislumbres e dos acontecimentos de sua tenra idade, ainda se sente a falta de conhecer mais da pessoa por trás da persona e igualmente da ousadia que uma obra sobre um visionário como ele pede inerentemente. Por isso, é justamente a curiosidade acerca de sua biografia que, a princípio, deve prender mais o público à minissérie do que o aperitivo de ritmo irregular oferecido neste primeiro episódio, na espera de voos mais altos nos próximos capítulos.

Santos Dumont (2019)

Minissérie ficcional (estreia) | 6 episódios, a partir de 10 de novembro de 2019

Canal: HBO | Exibição: domingos, às 21h

Horário alternativo: terças, às 15h na HBO 2 e 18h05 na HBO | quartas, às 21h na HBO | quintas, à 0h35 na HBO e 19h55 na HBO 2 | sextas, à 0h50 na HBO 2 e 19h55 na HBO | domingos, às 13h05 na HBO (veja estes e outros horários exatos no site)

Direção: Estevão Ciavatta e Fernando Acquarone

Roteiro: Pedro Motta Gueiros e Gabriel Mariani Flaksman

Elenco: João Pedro Zappa, Guilherme Garcia, Gilberto Gawronski, Bruna Scavuzzi, Jean Pierre Noher, Lisa Eiras, José Araújo, Miguel Pinheiro, Juliana Carneiro da Cunha e Fernando Acquarone

Produção: Roberto Rios, Eduardo Zaca, Patricia Carvalho e Rafaella Giannini (HBO Latin America Originals); Estevão Ciavatta e Susana Campos (Pindorama Filmes)

 

 

Compartilhar
Tweetar
Please reload

 Textos relacionados: 
Please reload

 últimas: 
Please reload

 siga o NERVOS: 
 @nervossite 
  • Twitter - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • SoundCloud - Black Circle
  • Deezer - Black Circle
  • Spotify - Black Circle
  • Branco RSS Icon
  • Twitter B&W
  • Facebook B&W
  • Instagram B&W