© 2019 por Nayara Reynaud. Criado a partir da plataforma Wix.

Cine Resumão #55 – Parte I | Mensal de 23/07 a 27/08

27/08/2019

Depois de um tempo, o nosso Cine Resumão volta com muitas notícias sobre o cinema nacional e internacional no mundo das premiações e festivais, incluindo a recente escolha de A Vida Invisível (2019), longa de Karim Aïnouz, como o “filme brasileiro para o Oscar” e os premiados em Gramado. Veja estes e mais destaques de 23 de julho a 27 de agosto nesta primeira parte do Cine Resumão #55.

Premiações e Festivais

 

 

  • Nesta terça (27), a Academia Brasileira de Cinema anunciou A Vida Invisível, de Karim Aïnouz, como a produção brasileira escolhida para representar o país na próxima corrida pelo Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Baseado no romance A Vida Invisível de Eurídice Gusmão (2016) de Martha Batalha, o longa ambientado no Rio de Janeiro dos anos 1950 traz a história de duas irmãs inseparáveis, Eurídice (Carol Duarte) e Guida (Julia Stockler), que são forçadas pelo pai conservador a viver distantes uma da outra, enquanto alimentam a esperança de se reencontrarem. Gregorio Duvivier, Bárbara Santos, Flavia Gusmão e Fernanda Montenegro completam o elenco da produção da RT Features, de Rodrigo Teixeira, que já tem circulado em Hollywood nas últimas temporadas de premiação, e recentemente foi confirmada a sua distribuição nos Estados Unidos pela Amazon Studios, que também tem sido uma agente forte nas últimas campanhas para o Academy Awards. A comissão formada por Anna Muylaert, Amir Labaki, Sara Silveira, David Shurmann, Ilda Santiago, Mikael de Albuquerque, Vania Catani, Walter Carvalho e Zelito Viana escolheu o vencedor do prêmio principal da mostra Un Certain Regard no Festival de Cannes, entre os 12 títulos inscritos e habilitados, que incluíam: A Última Abolição (2018), de Alice Gomes; A Voz do Silêncio (2018), de André Ristum; Bacurau (2019), de Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho; Bio (201) de Carlos Gerbase; Chorar de Rir (2019), de Toniko Melo; Espero tua (Re)volta (2019), de Eliza Capai; Humberto Mauro (2018), de André Di Mauro; Legalidade (2019), de Zeca Brito; Los Silencios (2018), de Beatriz Seigner; Simonal (2018), de Leonardo Domingues; e Sócrates (2018), de Alex Moratto. Com distribuição conjunta da Sony Pictures e Vitrine Filmes no Brasil, A Vida Invisível estreará antecipadamente nos cinemas do Nordeste no dia 19 de setembro e será lançado nas outras regiões do país no dia 31 de outubro.

 

  • Enquanto isso, Bacurau, longa de Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho que ganhou o Prêmio do Júri na mostra competitiva de Cannes, já foi escolhido, na semana retrasada, como o candidato do Brasil na disputa de Melhor Filme Ibero-americano no Goya, o “Oscar espanhol”. Contando com Sonia Braga, Udo Kier, Bárbara Colen, Thomás Aquino, Silvero Pereira, Wilson Rabelo, Carlos Francisco, Karine Teles, Antonio Saboia e grande elenco, a produção que mescla elementos de vários cinemas de gênero, acompanha o povoado no sertão de Pernambuco do título, que some misteriosamente do mapa, enquanto a matriarca do local morre e vários assassinatos passam a acontecer na região. O filme estreia nesta quinta, 29 de agosto, com distribuição da Vitrine.

 

  • No último sábado (24), foram entregues os prêmios do 47º Festival de Gramado, que consagraram o filme cearense Pacarrete (2019), do estreante Allan Deberton, com 8 Kikitos, incluindo o de Melhor Longa Brasileiro. Também premiada no evento, Marcélia Cartaxo vive a personagem título, inspirada em uma bailarina que o diretor conheceu em Russas, no Ceará, e que tem levada para as telas a sua insistência em levar à arte para o povonesta produção que ainda não tem previsão de estreia, mas distribuição já garantida pela Arthouse. Veja abaixo a lista completa de vencedores no festival:

 

LONGAS BRASILEIROS

Melhor Filme: Pacarrete, de Allan Deberton (CE | Arthouse)

Melhor Direção: Allan Deberton, por Pacarrete (CE | Arthouse)

Melhor Filme do Júri Popular: Pacarrete, de Allan Deberton (CE | Arthouse)

Melhor Filme do Júri da Crítica: Raio 4, de Emiliano Cunha (RS | Boulevard)

Prêmio Especial do Júri: 30 Anos Blues, de Andradina Azevedo e Dida Andrade (SP)

Melhor Roteiro: Allan Deberton, André Araújo, Natália Maia e Samuel Brasileiro, por Pacarrete (CE | Arthouse)

Melhor Atriz: Marcélia Cartaxo, por Pacarrete (CE | Arthouse)

Melhor Ator: Paulo Miklos, por O Homem Cordial (DF | O2 Play)

Melhor Atriz Coadjuvante: empate entre Carol Castro, por Veneza (RJ | Imagem), e Soia Lira, por Pacarrete (CE | Arthouse)

Melhor Ator Coadjuvante: João Miguel, por Pacarrete (CE | Arthouse)

Melhor Fotografia: Edu Rabin, por Raio 4 (RS | Boulevard)

Melhor Direção de Arte: Tulé Peake, por Veneza (RJ | Imagem)

Melhor Montagem: Joana Collier e Fernanda Krumel, por Hebe – A Estrela do Brasil (SP | Warner Bros. Pictures)

Melhor Trilha Musical: Sascha Kratzer, por O Homem Cordial (DF | O2 Play)

Melhor Desenho de Som: Rodrigo Ferrante e Cauê Custódio, por Pacarrete (CE | Arthouse)

 

LONGAS ESTRANGEIROS

Melhor Filme: El Despertar de las Hormigas, de Antonella Sudasassi (Costa Rica)

Melhor Direção: Juan Caceres, por Perro Bomba (Chile)

Melhor Filme do Júri Popular: Perro Bomba, de Juan Caceres (Chile)

Melhor Filme do Júri da Crítica: El Despertar de las Hormigas, de Antonella Sudasassi (Costa Rica)

Melhor Roteiro: Bernardo e Rafael Antonaccio, por En el Pozo (Uruguai)

Melhor Atriz: Julieta Diaz, por La Forma de las Horas (Argentina)

Melhor Ator: Fernando Arze, por Muralla (Bolívia)

Melhor Fotografia: Rafael Antonaccio, por En el Pozo (Uruguai)

Menção Honrosa: direção de arte de Dos Fridas (México / Costa Rica)

 

LONGAS GAÚCHOS

Melhor Filme: Raio 4, de Emiliano Cunha

 

CURTAS-METRAGENS BRASILEIROS

Melhor Filme: Apneia, de Carol Sakura e Walkir Fernandes (PR)

Melhor Direção: Diogo Leite, por Menino Pássaro (SP)

Melhor Filme do Júri Popular: Teoria sobre um Planeta Estranho, de Marco Antônio Pereira (MG)

Melhor Filme do Júri da Crítica: Marie, de Leo Tabosa (PE)

Prêmio Canal Brasil de Curtas: Marie, de Leo Tabosa (PE)

Melhor Roteiro: Renata Diniz, por O Véu de Amani (DF)

Melhor Atriz: Cassia Damaceno, por A Mulher que Sou (PR)

Melhor Ator: Rômulo Braga, por Marie (PE)

Prêmio Especial do Júri: Divina Valéria e Wallie Ruy, pela atuação em Marie (PE)

Menção Honrosa: Ester Amanda Schafe, pela atuação em A Pedra (RS)

Melhor Fotografia: Sebastian Cantillo, por A Ética das Hienas (PB)

Melhor Montagem: Daniel Sena e Thiago Foresti, por Invasão Espacial (DF)

Melhor Direção de Arte: Guto BR, por Sangro (SP)

Melhor Trilha Musical: Carlos Gomes, por Teoria sobre um Planeta Estranho (MG)

Melhor Desenho de Som: Gustavo Soesi, por Um Tempo Só (SP)

 

Compartilhar
Tweetar
Please reload

 Textos relacionados: 
Please reload

 últimas: 
Please reload

 siga o NERVOS: 
 @nervossite 
  • Twitter - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • SoundCloud - Black Circle
  • Deezer - Black Circle
  • Spotify - Black Circle
  • Branco RSS Icon
  • Twitter B&W
  • Facebook B&W
  • Instagram B&W