© 2019 por Nayara Reynaud. Criado a partir da plataforma Wix.

Cine Resumão #49 | Semanal de 14 a 20/05

21/05/2019

Os destaques do mundo do cinema, de 14 a 20 de maio, estão aqui no Cine Resumão #49:

Trailers e Cartazes

  • Enquanto La Croisette está agitada com o tapete vermelho do Festival de Cannes, o público tem direito a sua avant première com trailers de alguns filmes que estão no evento, como o novo melodrama de Pedro Almodóvar, Dor e Glória (2019), que ganhou um segundo trailer contando mais da história metalinguística de um cineasta em crise, vivido por Antonio Banderas. Penélope Cruz, Asier Exeandia, Leonardo Sbaraglia, Nora Navas e Cecilia Roth também estão no elenco da produção que está na Mostra Competitiva do festival francês e estreia no Brasil, em 13 de junho, com distribuição da Universal.

 

  • “Um melodrama tropical” é como a definição dada pela própria divulgação de A Vida Invisível de Eurídice Gusmão (2019), o sétimo e novo longa de Karim Aïnouz, que foi exibido hoje (20) na mostra Un Certain Regard, no Festival de Cannes. Carol Duarte e Julia Stockler vivem as irmãs inseparáveis que, separadas por várias circunstâncias da vida e familiares, tentam se reencontrar. Baseado no livro homônimo de Martha Batalha, ambientado no Rio de Janeiro dos anos 1950, a coprodução Brasil-Alemanha, ainda sem data para ser lançada aqui pela Sony, conta com a participação especial de Fernanda Montenegro no elenco, que tem Gregorio Duvivier, Bárbara Santos, Flávia Gusmão, Antônio Fonseca, Flavio Bauraqui e Maria Manoella completando a escalação.

 

  • O parceiro de direção de Karim em Viajo Porque Preciso, Volto Porque te Amo (2009), Marcelo Gomes, também está com filme novo, o documentário Estou Me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar (2019), exibido este ano no Festival de Berlim e no É Tudo Verdade, ganhando neste uma Menção Honrosa do Júri Oficial, o prêmio da crítica (Abraccine) e da associação de documentarista (ABD-SP). No longa, destaca-se a cidade do agreste pernambucano, Toritama, responsável por 20% da produção de jeans no país, mas onde os trabalhadores incansáveis tiram folga apenas no Carnaval. Com distribuição da Vitrine, ainda não há previsão de lançamento.

 

  • Outro destaque nacional no Festival de Berlim e também em Sundance, neste ano, foi o trabalho do conterrâneo Gabriel Mascaro, Divino Amor (2019), que ganhou teaser e data de estreia: o longa entra em cartaz em todo o Brasil no dia 15 de agosto, distribuído pela Vitrine. Na sua distopia, passada no Brasil de 2027, a maior festa do país não é mais o Carnaval, mas uma espécie de rave religiosa e, neste contexto, a trama acompanha uma devota (Dira Paes) que usa seu ofício num cartório para tentar dificultar os divórcios, enquanto seu próprio casamento se encontra em crise. No elenco, ainda estão Julio Machado, Emílio de Melo, Teca Pereira, Calum Rio, Mariana Nunes e Thalita Carauta.

 

  • Também exibido em Berlim, o novo longa de Isabel Coixet traz em preto e branco uma história real de Elisa Sánchez Loriga (Natalia de Molina), que adota uma identidade masculina para poder casar com a mulher que ama, Marcela Gracia Ibeas (Greta Fernández), em pleno ano de 1901, na Espanha. Elisa e Marcela (2019), que terá lançamento em alguns cinemas selecionados – não se sabe se o mesmo ocorrerá no Brasil –, entra no catálogo da Netflix em 7 de junho.

 

  • Mudando de festival, o filme brasileiro premiado na categoria de Fotografia no último South by Southwest (SXSW), Amazônia Groove (2018), ganhou cartaz e trailer, destacando a beleza e diversidade da música paraense. O documentário de Bruno Murtinho abre a 5ª Ciranda de Filmes, na próxima quarta (22), na capital paulista, mas será lançado em todo o Brasil no dia 6 de junho, pela Pagu Pictures.

 

 

  • Voltando para os festivais do ano passado, um dos destaques de Cannes 2018, foi o filme inspirado no drama real de mulheres que montaram seu próprio batalhão para defender o seu povo no Curdistão. Protagonizado por Golshifteh Farahani na pele da comandante curda deste batalhão feminino, Filhas do Sol (2018) tem a direção de Eva Husson e previsão de estreia no Brasil para 29 de agosto, pela Califórnia Filmes.

 

  • Falando em direção feminina, Fora de Série (2019) é o longa de estreia da atriz Olivia Wilde, que já havia se arriscado na direção no videoclipe de Dark Necessities, do Red Hot Chilli Peppers. A comédia adolescente tem como diferença o protagonismo em duas meninas nerds, Amy (Kaitlyn Dever) e Molly (Beanie Feldstein), que resolvem aproveitar em uma noite tudo o que não fizeram em anos de escola, já que os alunos que só pensavam em curtir passaram para as mesmas universidades de nome que elas, estudiosas desde sempre. Molly Gordon, Billie Lourd, Skyler Gisondo, Jason Sudeikis, Lisa Kudrow e Will Forte completam o elenco deste coming of age, que será lançado aqui em 13 de junho, pela Imagem.

 

Em Exibição

  • Em parceria com a Fundação Japão, o Centro Cultural Banco do Brasil promove a mostra “Japão: drama e humor”, que começou no dia 15 e segue até 27 de maio no CCBB-SP. A programação traz 12 filmes que abordam a diversidade do cinema japonês, apresentando a cultura e a tradição em temas variados e passando por dramas, comédias e animes. Veja os filmes, sessões e horários no site.

 

  • A 23ª edição do Cultura Inglesa Festival acontece de 24 de maio a 16 de junho e, dentro da sua programação, promove três mostras de cinema gratuitas. A primeira a acontecer é a mostra "Heróis Britânicos", que, em parceria com a Spcine, será realizada no Centro Cultural São Paulo (CCSP), de 24 a 26 de maio, com dias temáticos: a sexta (24) traz o Excalibur Day, com a exibição de Lancelot, o Primeiro Cavaleiro (1995), Rei Arthur (2004) e Rei Arthur – A Lenda da Espada (2017); no sábado (25), é a vez do Lara’s Day, com Lara Croft: Tomb Raider (2001), Lara Croft: Tomb Raider – A Origem da Vida (2003) e Tomb Raider – A Origem (2018); e no domingo (26), é hora de investigar com Detective Day trazendo Os 7 Suspeitos (1985), O Enigma da Pirâmide (1985) e Sherlock Holmes (2009). No final de semana seguinte, tem cinema na área externa do Instituto Tomie Ohtake, com o "Cine Fachada: Novos Diretores Britânicos" que destaca os trabalhos de Bart Layton, em American Animals (2018), na sexta, 31 de maio; Michael Pearce, em A Fera / Beast (2018), no sábado, 1º de junho; e da zambiana-galesa Rungano Nyoni, em Eu Não Sou Uma Bruxa (2017), no domingo, 2 de junho. Ainda, está programada a mostra de curtas-metragens produzidos por edital da Cultura Inglesa, que têm inspiração na cultura britânica, Vitorianna (2019) e Antes que Seja Tarde (2019).

 

Compartilhar
Tweetar
Please reload

 Textos relacionados: 
Please reload

 últimas: 
Please reload

 siga o NERVOS: 
 @nervossite 
  • Twitter - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • SoundCloud - Black Circle
  • Deezer - Black Circle
  • Spotify - Black Circle
  • Branco RSS Icon
  • Twitter B&W
  • Facebook B&W
  • Instagram B&W