© 2019 por Nayara Reynaud. Criado a partir da plataforma Wix.

Cine Resumão #30 | Semana de 24 a 30/07

30/07/2018

A semana foi de escalações nos principais festivais nacionais e internacionais, com as listas de filmes selecionados em Brasília, Veneza e Toronto, além dos premiados do Anima Mundi 2018. Além disso, os trailers, cartazes, bilheteria e outros destaques de 24 a 30 de julho estão no Cine Resumão #30.

Premiações e Festivais

  • A edição carioca do Anima Mundi 2018 se encerrou neste domingo (29) com a divulgação dos premiados deste ano. O curta canadense Animal Behaviour (2018), de Alison Snowden e David Fine, que ganhou destaque aqui com sua terapia em grupo animal pra lá de humana, venceu o grande prêmio Anima Mundi e ganhou a inscrição para a disputa do Oscar em 2019, como acontece desde 2012 no festival dedicado à animação. Veja abaixo a lista completa dos prêmios entregues no Rio de Janeiro – lembrando que ainda haverá a votação popular em São Paulo, que decidirá os curtas favoritos dos paulistas e os longas pela soma dos votos dos dois estados:

 

CURTAS-METRAGENS – JÚRI PROFISSIONAL

Grande Prêmio Anima Mundi (R$ 15 mil)Animal Behaviour, de Alison Snowden e David Fine (Canadá)

Melhor Roteiro (R$ 4 mil)Weekends (2017), de Trevor Jimenez (Estados Unidos)

Melhor Concepção Sonora (R$ 4 mil)Island (2017), de Max Mortl e Robert Lobel (Alemanha)

Melhor Direção de Arte (R$ 4 mil)Agouro (2018), de David Doutel e Vasco Sá (Portugal / França)

Melhor Técnica de Animação (R$ 4 mil)Augenblicke (2018), de Kiana Naghshineh (Alemanha)

Melhor Filme da Sessão Galeria (R$ 4 mil)Grandes Canons (2018), de Alain Biet (França)

Melhor Filme da Sessão Portfólio (R$ 4 mil)Everything in Black & White (2017), de Mateus de Paula Santos e Fábio Acorsi (Brasil)

 

CURTAS-METRAGENS – JÚRI POPULAR

Eleitos pelo público do festival no Rio de Janeiro por voto direto

Melhor Curta (R$ 10 mil)Happiness (2017), de Steve Cutts (Reino Unido)

Melhor Curta Brasileiro (R$ 8 mil)O Homem na Caixa (2018), de Ale Borges, Alvaro Furloni e Guilherme Gehr (Brasil)

Melhor Curta Infantil (R$ 5 mil)Formigas (2017), de Julia Ocker (Alemanha)

Melhor Curta de Estudante (R$ 4 mil)Comme un éléphant dans un magasin de porcelaine (2017), de Louise Chevrier, Luka Fischer, Rodolphe Groshens, Marie Guillon, Estelle Martinez, Benoit Paillard, Lisa Rasasombat (França)

 

CURTAS-METRAGENS - PRÊMIOS ESPECIAIS

Prêmio Canal Brasil de Curtas (R$ 15 mil) Guaxuma (2018), de Nara Normande

Prêmio Carlos Saldanha de Melhor Curta Brasileiro (R$ 5 mil)O Homem na Caixa (2018), de Ale Borges, Alvaro Furloni e Guilherme Gehr (Brasil)

Prêmio Carlos Saldanha de Melhor Curta de Estudante Brasileiro (R$ 3 mil)Lé com Cré (2018), de Cassandra Reis

Prêmio ACCRJ de Melhor Curta-Metragem BrasileiroBarone (2018), de Douglas Hoose

Prêmio ACCRJ de Melhor Longa-MetragemAs Aventuras de Fujiwara Manchester – O Filme (2018), de Alê Camargo

Prêmio Maratona Animada SENAI (R$ 5 mil) – “Inteligência Emocional” - Equipe Bugbite/SP

 

  • A semana, no entanto, foi de divulgação de selecionados em vários festivais. Mas começando pelas bandas brasileiras, o Festival de Brasília anunciou, nesta segunda (30), os filmes que estão na competição de sua 51ª edição, que acontecerá de 14 a 23 de setembro na capital do país:

 

COMPETIÇÃO

Longas-metragens

Bixa Travesty, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman (SP), documentário

Bloqueio, de Quentin Delaroche e Victória Álvares (PE), documentário

Ilha, de Ary Rosa e Glenda Nicácio (BA), ficção

Los Silencios, de Beatriz Seigner (SP / Colômbia / França), ficção

Luna, de Cris Azzi (MG), ficção

New Life S/A, de André Carvalheira (DF), ficção

A Sombra do Pai, de Gabriela Amaral Almeida (SP), ficção

Temporada, de André Novais Oliveira (MG), ficção

Torre Das Donzelas, de Susanna Lira (RJ), documentário

Curtas-metragens

Aulas que Matei, de Amanda Devulsky e Pedro B. Garcia (DF), ficção

Boca de Loba, de Bárbara Cabeça (CE), ficção

Br3, de Bruno Ribeiro (RJ), ficção

Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados, de Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo e Pedro Maia de Brito (PE/MG), documentário

Eu, Minha Mãe e Wallace, de Irmãos Carvalho (SP/RJ), ficção

Guaxuma, de Nara Normande (PE), animação

Kairo, de Fabio Rodrigo (SP), ficção

Liberdade, de Pedro Nishi e Vinicius Silva (SP), documentário

Mesmo com Tanta Agonia, de Alice Andrade Drummond (SP), ficção

Plano Controle, de Juliana Antunes (MG), ficção

Reforma, de Fábio Leal (PE), ficção

Sempre Verei Cores no seu Cinza, de Anabela Roque (RJ), documentário

 

MOSTRA BRASÍLIA

Longas-metragens

Marés, de João Paulo Procópio, ficção, 2018

New Life S/A, de André Carvalheira, ficção, 2018

O Outro Lado da Memória, de André Luiz Oliveira, documentário, 2018

Curtas-metragens

A Praga do Cinema Brasileiro, de William Alves e Zefel Coff, ficção, 2018

A Roda da Fortuna, de Luciano Porto, ficção, 2018

À Tona, de Daniela Conenberg, documentário, 2018

Brasilha, de Rafael Morbeck, ficção, 2018

Cabeças, de Bruna Carolli, ficção, 2017

Casa de Praia, de Duda Affonso, ficção, 2018

Entre Parentes, de Tiago de Aragão, documentário, 2018

In Memorian, de Gustavo Fontele Dourado e Thiago Campelo, ficção, 2018

Me Deixe Não Ser, de Kleber Macedo, ficção, 2018

Monstros, de Douro Moura, ficção, 2018

Noroeste, de Lucas Ferreira Gesser, documentário, 2018

O Homem Banco, de Cícero Fraga, ficção, 2017

O Mistério da Carne, de Rafaela Camelo, ficção, 2018

Para Minha Gata Mieze, de Wesley Gondim, ficção, 2018

Presos que Menstruam, de Alisson Sbrana, ficção, 2018

Riscados pela Memória, de Alex Vidigal, ficção, 2018

Sinucada, de Rafael Stadniki Morato, ficção, 2018

Terras Brasileiras, de Dulce Queiroz, documentário, 2017

 

  • A lista dos filmes selecionados para a 75º Festival de Veneza, que acontece de 29 de agosto a 8 de setembro na cidade italiana, foi divulgada na última quarta (25) e lá estão os brasileiros Deslembro (2018), de Flávia Castro, na Mostra Horizonte, e o documentário Humberto Mauro (2018), de André Di Mauro, que será apresentado na seção Veneza Clássicos – Documentários. Veja a seleção das principais mostras do evento:

 

COMPETIÇÃO OFICIAL

Filme de abertura: O Primeiro Homem, de Damien Chazelle (EUA | Universal)

22 July, de Paul Greengrass (Noruega / Islândia)

Acusada, de Gonzalo Tobal (Argentina / México)

At Eternity's Gate, de Julian Schnabel (EUA / França | *BR: Diamond Filmes)

Capri-Revolution, de Mario Martone (Itália / França)

Doubles Vies / Non-fiction, de Olivier Assayas (França)

Frères Ennemis, de David Oelhoffen (França / Bélgica)

Napszállta / Sunset, de László Nemes (Hungria / França)

Nuestro Tiempo, de Carlos Reygadas (México / França / Alemanha / Dinamarca / Suécia)

Peterloo, de Mike Leigh (Reino Unido / EUA | *BR: Diamond)

Roma, de Alfonso Cuarón (México)

Suspiria, de Luca Guadagnino (Itália)

The Ballad Of Buster Scruggs, de Ethan Coen e Joel Coen (EUA)

The Favourite, de Yórgos Lánthimos (Reino Unido / Irlanda / EUA)

The Mountain, de Rick Alverson (EUA)

The Nightingale, de Jennifer Kent (Austrália)

The Sisters Brothers, de Jacques Audiard (França / Bélgica / Romênia / Espanha)

Vox Lux, de Brady Corbet (EUA)

Werk ohne Autor, de Florian Henckel von Donnersmarck (Alemanha)

What You Gonna Do When the World's on Fire?, de Roberto Minervi (Itália / EUA / França)

Zan / Killing, de Shinya Tsukamoto (Japão)

 

FORA DA COMPETIÇÃO

Ficção

A Tramway In Jerusalem, de Amos Gitaï (Israel / França)

Dragged Across Concrete, de S. Craig Zahler (Canadá / EUA | *BR: Diamond)

La Quietud, de Pablo Trapero (Argentina)

Les Estivants, de Valeria Bruni Tedeschi (França / Itália)

Mi Obra Maestra, de Gastón Duprat (Argentina / Espanha)

Nasce Uma Estrela, de Bradley Cooper (EUA | Warner)

Una Storia Senza Nome, de Roberto Andò (Itália / França)

Un Peuple et Son Roi, de Pierre Schoeller (França / Bélgica)

Ying / Shadow, de Zang Yimou (China)

Não-ficção

1938 Diversi, de Giorgio Treves (Itália)

A Letter to A Friend In Gaza, de Amos Gitaï (Israel)

American Dharma, de Errol Morris (EUA / Reino Unido)

Aquarela, de Victor Kossakovsky (Reino Unido / Alemanha)

Carmine Street Guitars, de Ron Mann (Canadá)

El Pepe, Una Vida Suprema, de Emir Kusturica (Argentina / Uruguai / Sérvia)

Introduzione All’Oscuro, de Gastón Solnicki (Argentina / Áustria)

Isis, Tomorrow. The Lost Souls Of Mosul, de Francesca Mannocchi e Alessio Romenzi (Itália / Alemanha)

Monrovia, Indiana, de Frederick Wiseman (EUA)

Ni De Lian / Your Face, de Tsai Ming-liang (Taiwan)

Process, de Sergei Loznitsa (Holanda)

Eventos Especiais

O Outro Lado do Vento / The Other Side Of The Wind, de Orson Welles (EUA | Netflix)

They’ll Love Me When I’m Dead, de Morgan Neville (EUA)

Exibições Especiais

Il Diario Di Angela – Noi Due Cineasti, de Yervant Gianikian (Itália)

L’Amica Geniale, de Saverio Costanzo (Itália / Bélgica)

 

MOSTRA HORIZONTE (ORIZZONTI)

Competição

Amanda, de Mikhaël Hers (França)

Anons / The Announcement, de Mahmut Fazil Coşkun (Turquia / Bulgária)

Charlie Says, de Mary Harron (EUA)

Deslembro, de Flávia Castro (Brasil / França / Catar)

Erom / Stripped, de Yaron Shani (Israel / Alemanha)

Hamchenan Ke Mimordam / As I Lay Dying, de Mostafa Sayyari (Irã)

Jinpa, de Pema Tseden (China)

Kraben Rahu / Manta Ray, de Phuttiphong Aroonpheng (Tailândia / França / China)

Kucumbu Tubuh Indahku / Memories Of My Body, de Garin Nugroho (Indonésia)

La Profezia Dell'Armadillo, de Emanuele Scaringi (Itália)

L’Enkas, de Sarah Marx (França)

Ozen / The River, de Emir Baigazin (Cazaquistão / Polônia / Noruega)

Soni, de Yvan Ayr (Índia)

Sulla Mia Pelle, de Alessio Cremonini (Itália)

Un Giorno All'Improvviso, de Ciro D'Emilio (Itália)

Tchelovek Kotorij Udivil Vseh / The Man Who Surprised Everyone, de Natasha Merkulova e Aleksey Chupov (Rússia / Estônia / França)

Tel Aviv On Fire, de Sameh Zoabi (Luxemburgo / França / Israel / Bélgica)

Uma Noite de 12 Anos / La Noche de 12 Años, de Álvaro Brechner (Espanha / Argentina / Uruguai / França | *BR: Vitrine Filmes)

Yom Adaatou Zouli / The Day I Lost My Shadow, Soudade Kaadan (Síria / Líbano / França / Catar)

Competição de Curtas-metragens

All Inclusive, de Corina Schwingruber Ilić (Suíça)

Kado / A Gift, de Aditya Ahmad (Indonésia)

Gli Anni, de Sara Fgaier (Itália / França)

Leoforos Patision / Patision Avenue, de Thanasis Neofotistos (Grécia)

L’été Et Tout Le Reste, de Sven Bresser (Holanda)

Los Bastardos, de Tomas Posse (Argentina)

Manila Is Full of Men Named Boy, de Yaron Shani (Filipinas / EUA)

Na Li / Down There, de Yang Zhengfan (China / França)

Ninfe, de Isabella Torre (Itália)

Sex, Strakh I Gamburgery / Sex, Fear, And Hamburgers, de Eldar Shibanov (Cazaquistão)

Staircase, de Mohsen Banihashemi (Irã)

Strano Telo / Foreign Body, de Dušan Zorić (Sérvia)

Curtas-metragens Fora da Competição

Blu, de Massimo D’Anolfi e Martina Parenti (Itália)

 

  • Um dia antes, na terça (24), foi a vez de sair a seleção do Festival de Toronto, que será realizado de 6 a 16 de setembro na cidade canadense, como sempre, sendo um termômetro da próxima temporada de premiações. Confira a lista de filmes selecionados no TIFF 2018:

 

SESSÕES DE GALA

As Viúvas, de Steve McQueen (Reino Unido / EUA | Fox)

A Vida em Si, de Dan Fogelman (EUA / Espanha | *BR: Paris Filmes)

Beautiful Boy, de Felix van Groeningen (USA | *BR: Diamond)

Galveston, de Mélanie Laurent (EUA)

Gente de Bem / The Land of Steady Habits, de Nicole Holofcener (EUA | Netflix)

Hidden Man, de Jiang Wen (China)

High Life, de Claire Denis (Alemanha / França / EUA / Polônia / Reino Unido)

Husband Material, de Anurag Kashyap (Índia)

Nasce Uma Estrela, de Bradley Cooper (EUA | Warner)

O Primeiro Homem, de Damien Chazelle (EUA | Universal)

Red Joan, de Trevor Nunn (Reino Unido)

Shadow, de Zhang Yimou (China)

The Hate U Give, de George Tillman, Jr. (EUA)

The Kindergarten Teacher, de Sara Colangelo (EUA)

The Public, de Emilio Estevez (EUA)

Todos Lo Saben / Everybody Knows, de Asghar Farhadi (Espanha / França / Itália | *BR: Paris)

What They Had, de Elizabeth Chomko (EUA | *BR: Diamond)

 

APRESENTAÇÕES ESPECIAIS

Ben Is Back, de Peter Hedges (EUA | *BR: Diamond)

Beoning / Burning, de Lee Chang-dong (Coreia do Sul)

Can You Ever Forgive Me?, de Marielle Heller (EUA | Fox)

Capharnaüm / Capernaum, de Nadine Labaki (Líbano)

Colette, de Wash Westmoreland (Reino Unido | *BR: Diamond Filmes)

Doubles Vies / Non-fiction, de Olivier Assayas (França)

Guerra Fria, de Pawel Pawlikowski (Polônia | *BR: California Filmes)

Dogman, de Matteo Garrone (Itália / França)

Giant Little Ones, de Keith Behrman (Canadá)

Hotel Mumbai, de Anthony Maras (Austrália | *BR: Imagem Filmes)

If Beale Street Could Talk, de Barry Jenkins (EUA)

Les Filles du Soleil / Girls of the Sun, de Eva Husson (França | *BR: California)

Manbiki Kazoku / Shoplifters, de Hirokazu Kore-eda (Japão | BR: Imovision)

Manto, de Nandita Das (Índia)

Maya, de Mia Hansen-Løve (França)

Monsters and Men, de Reinaldo Marcus Green (EUA)

MOUTHPIECE, de Patricia Rozema (Canadá)

Napszállta / Sunset, de László Nemes (Hungria / França)

Papi Chulo, de John Butler (Irlanda)

The Front Runner, de Jason Reitman (EUA)

The Hummingbird Project, de Kim Nguyen (Canadá)

The Old Man & The Gun, de David Lowery (EUA)

The Sisters Brothers, de Jacques Audiard (França / Bélgica / Romênia / Espanha)

The Wedding Guest, de Michael Winterbottom (Reino Unido)

The Weekend, de Stella Meghie (EUA)

Through Black Spruce, de Don McKellar (Canadá)

Where Hands Touch, de Amma Asante (Reino Unido)

White Boy Rick, de Yann Demange (EUA | Sony)

Wildlife, de Paul Dano (EUA)

Trailers e Cartazes

  • Nos lados de cá, a semana foi divulgação de alguns longas nacionais, como Coração de Cowboy (2018), cujo cartaz destaca Gabriel Sater como o protagonista Lucca, um músico apaixonado por música sertaneja, mas que só conseguiu fazer sucesso com um estilo mais comercial, e Thaila Ayala como seu interesse romântico, Paula. O filme, que será lançado pela O2 Play em 27 de setembro, ainda tem no elenco Jackson Antunes, Thaís Pacholek, Françoise Forton e participações especiais de Chitãozinho & Xororó, Marcos e Belutti, Família Lima, Rio Negro e Solimões, Maurício Manieri, entre outros.

 

  • Outra novidade brasileira é O Paciente – O Caso Tancredo Neves (2018), longa de de Sergio Rezende que promete revelar todos os detalhes da misteriosa morte do primeiro presidente eleito, indiretamente, após a Ditadura, Tancredo Neves, em 1985. Com Othon Baston na pele do protagonista estampado no pôster e o trailer apresenta Esther Góes, Paulo Betti, Otavio Muller, Leonardo Medeiros e Emilio Dantas, entre outros no elenco da produção da Paris / Downtown que estreia dia 13 de setembro.

 

 

  • Exibido no último Festival Varilux, o filme francês Troca de Rainhas (2017) ganhou cartaz e uma nova data de estreia: em vez desta quinta (2), a Pandora lança, no próximo dia 16 de agosto, o longa de Marc Dugain que mostra a forma inusitada que os regentes da França e da Espanha tentaram selar a paz para o conflito que travavam, em 1721.

 

  • Multipremiado em Festival de Berlim – com o Prêmio Alfred Bauer, de Melhor Atriz para Ana Brun e pela crítica internacional –, a coprodução do Paraguai com o Brasil, As Herdeiras (2018) será lançada no Brasil pela Imovision, em 30 de agosto. O longa de Marcelo Martinessi acompanha duas herdeiras de uma rica família paraguaia que enfrentam a falência, alterando a vida delas.

 

  • A adaptação do best-seller juvenil de Jenny Han, dirigida por Susan Johnson, Para Todos os Garotos que Já Amei (2018), chega à Netflix no dia 13 de agosto, com o tom de uma comédia romântica adolescente sobre uma garota (Lana Condor) que tem todas as cartas escritas, mas não enviadas para seus amores platônicos reveladas, bagunçando a sua vida no ensino médio.

 

  • O adolescente adotado Eli, interpretado pelo novato em longas Myles Truitt, porém, tem desafios bem maiores em Kin (2018), ao descobrir armas de origem desconhecida e abandonadas em um prédio e usá-las para salvar a pele de seu irmão, recém-libertado e ex-condenado (Jack Reynor), como revela o trailer – veja dublado, lançado junto com um pôster futurista pela Paris, que distribui o filme de ficção científica a partir de 6 de setembro.

 

 

  • O mundo do crime também atinge de surpresa uma mulher que tem a filha e o marido mortos por um cartel e, sem ter a Justiça ao seu lado, volta para se vingar dos seus algozes em A Justiceira (2018), filme de Pierre Morel em que Jennifer Garner vive a personagem do título, como uma máquina letal ao que apresenta o trailer da produção, que será lançada pela Diamond em 18 de outubro.

 

  • Saindo do terror da vida real e indo para um horror cuja lenda urbana já fez seus estragos nos Estados Unidos, a Sony divulgou o trailer de Slender Man: Pesadelo Sem Rosto (2018) – também na versão dublada, apresentando algumas jovens sendo perseguidas e assombradas pela figura que, segundo o folclore, é um homem muito alto, magro e sem rosto, que sequestra crianças e adolescentes ou os obriga a cometerem atos terríveis. Dirigido por Sylvain White, tem sua estreia agendada para 23 de agosto.

 

Bilheteria

  • Não teve para ninguém: Tom Cruise dominou as bilheterias norte-americana e brasileira com a estreia de Missão: Impossível – Efeito Fallout (2018) se tornando a melhor abertura da franquia tanto lá como aqui. Segundo o Box Office Mojo, o sexto filme da série está no primeiro lugar do ranking dos EUA, com US$ 61,5 milhões arrecadados, enquanto 773 mil espectadores garantiram R$ 14,5 milhões no Brasil, se somada a rendas das pré-estreias de quarta – na liderança no Top 10 Brasil, o Filme B registra apenas R$ 13,1 milhões. Por enquanto, o longa de Christopher McQuarrie acumula US$ 153,5 milhões em todo o mundo. O Box Office USA continua com Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo (2018) na segunda posição, com US$ 15 milhões neste final de semana; a outra sequência O Protetor 2 (2018) caiu para o terceiro lugar, com US$ 14 milhões; a animação Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas (2018) ficou em quarto, com US$ 12,3 milhões; e a estreia do mesmo gênero Jovens Titãs em Ação! Nos Cinemas (2018) fecha o Top 5, com US$ 10,5 milhões. Já nas bilheterias brazucas, não houve novidades nos primeiros lugares além da nova missão de Ethan Hunt: Hotel Transilvânia 3 caiu para o segundo lugar, com R$ 8,8 milhões; ainda seguida pela também animação Os Incríveis 2, com R$ 7,5 milhões; e com Homem-Formiga e a Vespa (2018) e Jurassic World: Reino Ameaçado (2018) na cola. As outras estreias do último final de semana que conseguiram entrar no Top 10 BR foram o drama romântico juvenil Todo Dia (2018), na oitava posição, e a comédia ácida de Sally Potter, A Festa (2017), na nona colocação, como pode ser conferido no ranking completo na página do Cine Resumão.

 

  • Em parceria com a Universal, começa neste sábado, 4 de agosto, o "Festival Kids Cinemark", que apresentará alguns sucessos do estúdio de animação Illumination em sessões às 11h, durante finais de semana e feriados, até 16 de setembro. Meu Malvado Favorito 2 (2013) fica em cartaz nos dias 4, 5, 11, 12, 18 e 19 de agosto; Sing: Quem Canta Seus Males Espanta (2016), em 25 e 26 de agosto, e 1º e 2 de setembro; e Minions (2015), em 7, 8, 9, 15 e 16 de setembro. Para mais detalhes da programação, é só acessar o site: www.cinemark.com.br/lp/festival-kids-cinemark.

 

  • Em comemoração ao Dia dos Pais, a Natura Mamãe e Bebê e a ONG CineMaterna realizam no mês de agosto o CinePaterna, com sessões aos sábados, para que os pais possam acompanhar as mães e bebês no cinema. Os filmes exibidos serão escolhidos, em cada cidade, pelo próprio público, por meio de votação no site oficial do evento: www.cinematerna.org.br.

Em Exibição

  • Mais uma nova edição da 8 ½ Festa Do Cinema Italiano começa na próxima quinta, exibindo 11 filmes em quase 300 sessões de 2 a 8 de agosto. Isso porque, neste ano, o circuito do evento foi ampliado e títulos como Fortunata (2017), de Sergio Castellitto, premiado no Festival de Cannes de 2017; Dogman (2018), de Matteo Garrone, na edição deste ano e, como visto acima, na seleção de Toronto; Nico 1988 (2017), de Susanna Nicchiarelli, em Veneza; entre outros, chegarão a doze cidades do país: Vitória, Goiânia, Belém e Florianópolis passam a integrar o circuito, além de São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Recife e Salvador que já receberam o evento em 2017. Veja a programação completa no site: www.festadocinemaitaliano.com.br.

 

  • A edição de agosto do projeto Hello Cinema já chega ao Centro Cultural São Paulo (CCSP) neste domingo (5), com a exibição ao ar livre do clássico Blade Runner – O Caçador de Androides (1992). O evento, que começa às 14h, ainda terá o bate-papo "Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?", que conta com a participação da jornalista Lídia Zuin, mestre em Semiótica e pesquisadora de tendências em tecnologia, e do escritor André Alves, especialista em comportamento de consumo.

Making Of

  • As filmagens de Star Wars: Episódio IX (2019) começam na nesta quarta (1) e a Disney anunciou o elenco do filme, que volta a ter J.J. Abrams na direção. Daisy Ridley, Adam Driver, John Boyega, Oscar Isaac, Lupita Nyong'o, Domhnall Gleeson, Kelly Marie Tran, Joonas Suotamo e Billie Lourd voltam ao próximo capítulo da saga estelar, enquanto Naomi Ackie e Richard E. Grant são as adições ao elenco, que ainda conta com a participação dos atores veteranos como Mark Hamill, Anthony Daniels e Billy Dee Williams, além de Carrie Fisher, usando imagens inéditas da atriz, feitas para Star Wars: O Despertar Da Força (2015).

Em Breve

  • Foram abertas, na última semana, as inscrições para o curso “Cinema, História e Linguagem”, do crítico Inácio Araújo, da Folha de S. Paulo. Começando nos próximos dias 6 ou 7 de agosto, com as turmas de segunda à noite e terça de manhã, os módulos Moderno e Contemporâneo partindo de Orson Welles, do neo-realismo italiano, de Ingmar Bergman, para chegar ao cineastas do presente, como Brian de Palma, Abbas Kiarostami, David Lynch, entre outros nomes esquecidos neste ínterim. Todas as informações em: cursoinacioaraujo.blogspot.com.

 

  • Novo filme de terror nacional – primeiro do estilo slasher, com violência gráfica extrema, a ser realizado por uma mulher no Brasil –, O Animal Cordial (2017), chega aos cinemas no dia 9 de agosto com a classificação indicativa de 18 anos por conter cenas de sexo, violência extrema e linguagem imprópria. Segundo a diretora Gabriela Amaral Almeida, “isso tira a oportunidade de que o público jovem tenha acesso a um gênero que está em formação no Brasil. Já que ​o cinema não é mais a única forma de acessar conteúdos audiovisuais, a maioridade cinematográfica deveria ser 16 anos”.

 

Compartilhar
Tweetar
Please reload

 Textos relacionados: 
Please reload

 últimas: 
Please reload

 siga o NERVOS: 
 @nervossite 
  • Twitter - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • SoundCloud - Black Circle
  • Deezer - Black Circle
  • Spotify - Black Circle
  • Branco RSS Icon
  • Twitter B&W
  • Facebook B&W
  • Instagram B&W