© 2019 por Nayara Reynaud. Criado a partir da plataforma Wix.

Cine Resumão #22 | Quinzena de 07 a 20/05

21/05/2018

Os vencedores do Festival de Cannes, incluindo brasileiros premiados em mostras paralelas, trailers e cartazes de filmes da seleção do evento ou de outros festivais, a exemplo de Desobediência (2017), além de blockbusters, como Missão Impossível – Efeito Fallout (2018), e musicais do Queen e, de novo, do ABBA. Estes e outros destaques e notícias cinematográficas de 7 a 20 de maio no Cine Resumão #22.

Premiações e Festivais

 

 

  • O Festival de Cannes chegou ao seu final neste sábado (19), com a esperada lista de premiados, mas, durante a semana, várias notícias boas de produções brasileiras vieram de outras mostras paralelas. Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos (2018), do português João Salaviza e da brasileira Renée Nader Messora, ganhou o Prêmio Especial do Júri no Un Certain Regard – e já ganhou seu cartaz, que destaca o jovem Krahô, da aldeia Pedra Branca, no Tocantins, que precisa fazer a festa de fim de luto pela morte de seu pai. Outra produção luso-brasileira a ser premiada foi Diamantino (2018), de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, vencedor do Grande Prêmio da Semana da Crítica com seu retrato bem humorado da atualidade a partir da história de um fracassado jogador de futebol português. Já o curta-metragem de Carolina Markowicz, O Órfão (2018), de Carolina Markowicz, baseado na história real de Jonathas, adotado e depois devolvido por causa do seu “jeito diferente”, que foi selecionado para a Quinzena dos Realizadores, foi agraciado com a Queer Palm, prêmio dado aos melhores filmes de temática LGBT. Além disso, o curta Skip Day (2018), também premiado na Quinzena, é dirigido pelo norte-americano Patrick Bresnan e pela brasileira Ivete Lucas.

 

COMPETIÇÃO OFICIAL

Longas-metragens

Palma de Ouro: Assunto de Família, de Hirokazu Koreeda (Japão | BR: Imovision)

Grande Prêmio do Júri: BlacKkKlansman, de Spike Lee (EUA | Focus Features)

Prêmio do Júri: Capharnaüm, de Nadine Labaki (Líbano)

Palma de Ouro Especial: Le Livre D’Image, de Jean-Luc Godard (França | BR: Imovision)

Melhor Direção: Pawel Pawlikowski, por Zimna Wojna (Polônia / França / Reino Unido | Amazon Studios)

Melhor Atriz: Samal Yeslyamova, por Ayka, de Sergei Dvortsevoy (Rússia / Alemanha / Polônia / Cazaquistão / China | the Match Factory)

Melhor Ator: Marcello Fonte, por Dogman, de Matteo Garrone (Itália / França)

Melhor Roteiro (empatado): Alice Rohrwacher, por Lazzaro Felice (Itália / Suíça / França / Alemanha) & Jafar Panahi, por 3 Faces (Irã | BR: Imovision)

Prêmio Vulcão de Técnica Artística: Buh-Ning (Burning), de Chang-dong Lee (Coreia do Sul)

Curtas-metragens

Palma de Ouro: All These Creatures, de Charles Williams (Austrália)

Prêmio Especial do Júri: Yan Bian Shao Nian (On The Border), de Shujun Wei (China)

 

MOSTRA UN CERTAIN REGARD

Prêmio Un Certain Regard: Gräns (Border), de Ali Abbasi (Suécia)

Prêmio Especial do Júri: Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de João Salaviza e Renée Nader Messora (Brasil / Portugal | EntreFilmes, Karõ Filmes e Material Bruto)

Melhor Direção: Sergey Loznitsa, por Donbass (Alemanha / Ucrânia / França / Países Baixos / Romênia | Pyramide International)

Melhor Atuação: Victor Polster, por Girl, de Lukas Dhont (Bélgica)

Melhor Roteiro: Sofia, de Meryem Benm’Barek (Marrocos)

 

CAMÉRA D’OR

(Prêmio dado ao melhor filme de estreia da seleção oficial ou das mostras paralelas)

Girl, de Lukas Dhont (Bélgica) [da seção Un Certain Regard]

 

CINÉFONDATION

(Seleção de filmes universitários ou escolares)

Primeiro Prêmio: El Verano del León Eléctrico (The Summer of the Electric Lion), de Diego Céspedes (Universidad de Chile - ICEI, Chile)

Segundo Prêmio (empatado): Kalendar (Calendar), de Igor Poplauhin (Moscow School of New Cinema, Rússia) & Dong Wu Xiong Meng (The Storms in Our Blood), de Di Shen (Shanghai Theater Academy, China)

Terceiro Prêmio: Inanimate, de Lucia Bulgheroni (NFTS, Romênia)

 

SEMANA DA CRÍTICA

Grande Prêmio: Diamantino, de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt (Portugal / Brasil / França)

Descoberta para Curta-metragem: Hector Malot: The Last Day of the Year, de Jacqueline Lentzou (Grécia)

Revelação: Félix Maritaud, por Sauvage, de Camille Vidal-Naquet (França)

Prêmio de Distribuição: Monsieur (Sir), de Rohena Gera (Índia / França | BR: Imovision)

Roteiro (Prêmio SACD): Benedikt Erlingsson e Ólafur Egilsson, por Kona Fer I Stríð (Woman at War), de Benedikt Erlingsson (França / Islândia / Ucrânia)

Curta-metragem: Un Jour de Mariage (A Wedding Day), de Elias Belkeddar (Argélia/França)

 

QUINZENA DOS REALIZADORES

Prêmio Art Cinema: Climax, de Gaspar Noé (França | Wild Bunch)

Roteiro (Prêmio SACD): Pierre Salvadori, Benjamin Charbit e Benoît Graffin, por En Liberté!, de Pierre Salvadori (França | Memento Films)

Europa Cinemas Label: Troppa Grazia, de Gianni Zanazi (Itália)

Curta-metragem: Skip Day, de Patrick Bresnan e Ivete Lucas (EUA)

 

PRÊMIO FIPRESCI

(Prêmio da Crítica Internacional, com júri formado pelo francês Michel Ciment; a brasileira Neusa Barbosa, do site Cineweb; a chilena Pamela Biénzobas; o holandês Joost Broeren; a britânica Rita Di Santo; a francesa Houda Ibrahim; a belga Elli Mastorou; o britânico Richard Mowe; e a alemã Jenni Zylka)

Competição Oficial: Buh-Ning (Burning), de Chang-dong Lee (Coreia do Sul)

Un Certain Regard: Girl, de Lukas Dhont (Bélgica)

Primeiro ou Segundo Filme nas Mostras Paralelas: Egy Nap, de Zsófia Szilágyi (Hungria) [da Semana da Crítica]

 

QUEER PALM

(Prêmio para os filmes com temática LGBT)

Longa-metragem: Girl, de Lukas Dhont (Bélgica) [da seção Un Certain Regard]

Curta-metragem: O Órfão, de Carolina Markowicz (Brasil) [da Quinzena dos Realizadores]

 

  • Enquanto isso, foram divulgados os filmes da competição Latino-Americana 2018 da 7ª edição da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, que será realizada de 31 de maio a 13 de junho, em São Paulo:

A Selva o Conhece Melhor Que Você (2017), de Juanita Omzaga (Colômbia / Bélgica)

A Terceira Margem (2016), de Fabian Remy (Brasil / França)

Abigail (2016), de Valentina Homem (Brasil)

Água Mole Pedra Dura (2017), de Flavia Angelico e James Robert Lloyd (Brasil)

Baronesa (2017), de Juliana Antunes (Brasil)

Berta Vive (2016), de Katia Lara (Honduras)

Cidade Maya (2016), de Andrés Padilla Domene (México / França)

Corp (2016), de Pablo Polledri (Argentina)

Dedo na Ferida (2017), de Silvio Tendler (Brasil)

Espólio da Cidade (2017), de Paulo Murilo Fonseca e Andre Turazzi (Brasil)

Estado de Exceção (2017), de Jason O'Hara (Brasil / Canadá)

Estamos Todos Aqui (2017), de Chico Santos e Rafael Mellim (Brasil)

Estás Vendo Coisas (2016), de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca (Brasil)

Fantasia de Índio (2017), de Manuela Andrade (Brasil)

Fronteira Invisível (2016), de Nicolás Richat e Nico Muzi (Argentina / Bélgica)

Histórias de Cumaru (2018), de Simone Giovine (Brasil)

Krenak (2017), de Rogério Corrêa (Brasil)

Nanã (2017), de Rafael Amorim (Brasil)

O Delírio é a Redenção dos Aflitos (2016), de Fellipe Fernandes (Brasil)

O Eterno Retorno (2016), de Roberto Mathews (Chile)

Plantae (2017), de Guilherme Gehr (Brasil)

Quilombo Rio dos Macacos (2017), de Josias Pires Neto (Brasil)

Río Verde, o Tempo dos Yakurunas (2017), de Alvaro Sarmiento e Diego Sarmiento (Peru)

Sertão Velho Cerrado (2018), de André D’Elia (Brasil)

Sob a Pata do Boi (2018), de Marcio Isensee e Sá (Brasil)

Terra Solitária (2017), de Tiziana Panizza (Chile)

Terras Brasileiras (2017), de Dulce Queiroz (Brasil)

Velha Caveira (2016), de Kiro Russo (Bolívia / Qatar)

 

  • Neste ínterim, o Festival Varilux de Cinema Francês também anunciou o documentário inédito A Busca do Chef Ducasse (2017) como o filme que faltava dos 21 títulos da seleção deste ano, além dos nomes de atrizes, atores e diretores que vem ao país para o evento. Fazem parte da delegação francesa de 2018, o ator e diretor Jérémie Renier, protagonista do filme O Amante Duplo (2017), de François Ozon, e diretor de Carnívoras (2018), junto com seu irmão Yannick Renier, que também estará no Brasil, tal qual a protagonista Zita Hanrot. Também virão o diretor Fabien Gorgeart e a atriz Clotilde Hesme, representando O Poder de Diane (2017); o cineasta Nabil Ayouch e a atriz Maryam Touzani, do filme Primavera em Casablanca (Razzia) (2018); o escritor e agora diretor Marc Dugain, apresentando seu primeiro longa Troca de Rainhas (2017); e o ator Finnegan Oldfield por Marvin (2017), de Anne Fontaine.

 

  • Foram abertas, no último dia 15 de maio, as inscrições para o 18ª Goiânia Mostra Curtas, que será realizado de 2 a 7 de outubro, no Teatro Goiânia, na capital de Goiás. Podem participar filmes de ficção, de documentário, experimentais e de animação com duração máxima de 25 minutos, conforme regulamento e ficha de inscrição, que poderá ser realizada até 20 de julho, no site www.goianiamostracurtas.com.br. Mas se há tempo para se inscrever no festival goiano, é preciso correr se quiser ver seu filme em telas cearenses, pois estes são os últimos dias de inscrição para o 28º Cine Ceará, que acontecerá entre 4 e 10 de agosto no Cineteatro São Luiz, em Fortaleza-CE: o processo vai até esta quarta, dia 23 de maio, e deve ser realizado no site www.cineceara.com.

Despedida

  • Na manhã da última segunda (14), no Rio de Janeiro, faleceu o cineasta Roberto Farias, importante nome da indústria cinematográfica brasileira. Assinou 25 longas-metragens, como diretor, produtor, distribuidor e roteirista, entre eles, os clássicos Assalto ao Trem Pagador (1962) e Pra Frente, Brasil (1982), além da trilogia estrelada pelo cantor Roberto Carlos: Roberto Carlos em Ritmo de Aventura (1968), Roberto Carlos e o Diamante Cor de Rosa (1970) e Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora (1971). Também ficou marcado por sua atuação na gestão do cinema nacional, sendo presidente do Sindicato Nacional da Indústria Cinematográfica e o primeiro cineasta a dirigir a Embrafilmes, entre 1974 e 1978, além de ser sócio-fundador do Canal Brasil e Diretor-Presidente da Academia Brasileira de Cinema.

Cartazes

  • Continuando no clima de Cannes, o filme de Beatriz Seigner que estava na Quinzena dos Realizadores, Los Silencios (2018), lançou seu teaser e cartaz. Na história, que ainda não tem previsão de estreia no Brasil, Amparo (Marleyda Soto) tem de lidar com o desaparecimento da filha e do marido (Enrique Diaz), enquanto espera seus documentos para passar pela fronteira entre o Brasil, a Colômbia e o Peru, fugindo dos conflitos armados na região.

 

 

  • Exibido no último Festival de Toronto, o primeiro filme hollywoodiano de Sebastián Lelio, cineasta chileno responsável por Gloria (2013) e Uma Mulher Fantástica (2017), vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro deste ano, será lançado aqui pela Sony em 21 de junho. Desobediência ganhou cartaz e trailer que apresentam esta adaptação do romance de Naomi Alderman, em que Rachel Weisz vive uma mulher que volta a sua comunidade judia ortodoxa, por conta da morte de seu pai, e se reencontra com as mesmas questões que a fizeram sair de lá: o interesse por sua amiga de infância, interpretada por Rachel McAdams, e o preconceito de um círculo tão conservador.

 

 

  • Voltando ao Festival de Berlim de dois anos atrás, a Pandora traz o Melhor Filme de Estreia da edição, o tunisiano A Amante (2016), de Mohamed Ben Attia, para o circuito a partir de 31 de maio. O longa acompanha o jovem Hedi (Majd Mastoura) que, prestes a se casar, conhece a destemida Rym (Rym Ben Messaoud) em uma viagem a negócios, passa a questionar a sua postura apática e condescendente com todos que mandam em sua vida.

 

 

  • No aquecimento para Missão Impossível – Efeito Fallout, sexto filme do agente Ethan Hunt, vivido até as últimas consequências por Tom Cruise – nesta produção, o próprio ator pilota um helicóptero em uma perseguição aérea, a Paramount divulgou o cartaz oficial e um novo trailer. No longa de Christopher McQuarrie, que estreia em 26 de julho, o protagonista e sua equipe do IMF, formada pelos personagens de Alec Baldwin, Simon Pegg e Ving Rhames, na companhia de aliadas conhecidas, interpretadas por Rebecca Ferguson e Michelle Monaghan, precisam correr contra o tempo depois que uma missão dá errado, e Henry Cavill e Angela Basset vem atrás dele para cobrá-lo impiedosamente.

 

 

  • A tensão também é crescente no trailer – veja dublado – de Buscando (2018), suspense da web 2.0 a la Amizade Desfeita (2014), com John Cho vivendo um pai em uma busca desesperada pela filha desaparecida, através das telas de celulares e computadores mostrando as conversas dele pelas redes sociais e a ação da polícia em noticiários.

 

 

  • Neste dia 24 de maio, chega aos cinemas, o documentário sobre um jornalista importante e polêmico que foi uma figura de resistência durante a Ditadura Militar: A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro (2017), de Leo Garcia e Zeca Brito, destrincha a trajetória do idealizador do jornal Pasquim e do caderno Folhetim da Folha de S.Paulo

 

  • Mamma Mia! Here We Go Again”, já dizia o ABBA, que voltará a ser cantado nos cinemas, na continuação do musical inspirado nas músicas da banda sueca, Mamma Mia! (2008). Dez anos depois do sucesso do anterior, Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo (2018) traz a personagem de Sophie (Amanda Seyfried) grávida, tentando a ajuda de seus pais (Stellan Skarsgard, Pierce Brosnan e Colin Firth) e das amigas da mãe (Julie Walters e Christine Baranski) para tentar se inspirar na figura materna de Donna (Meryl Streep / Lily James) para este momento. O filme, que entra em cartaz em 2 de agosto, já terá sua trilha sonora oficial lançada em 13 de julho pela Polydor Record.

Trailers

  • Continuando na área musical, a última semana trouxe novidades da aguardada cinebiografia de Freddie Mercury, vocalista e líder do Queen. Rami Malek dá vida ao cantor em Bohemian Rhapsody (2018), cujo trailer não só deu um aperitivo do processo de gravação da música que dá título ao filme, como outros sucessos da banda britânica de rock. Estreia em 27 de dezembro no Brasil.

 

  • Outra cinebiografia de um artista surge em Dovlatov (2018), porém, o filme russo de Alexey German Jr., exibido no Festival de Berlim, não é apenas um retrato do escritor judeu Sergei Dovlatov (Milan Maric), mas de vários artistas censurados pelo regime comunista da União Soviética nos anos 1960. As figuras marginalizadas aparecem no trailer do longa, que será lançado em 14 de junho.

 

  • Ainda na pegada URSS, chega uma semana antes, no dia 7 de junho, a sátira sobre o líder do antigo regime comunista soviético, A Morte de Stalin (2017), vista sob o olhar do típico humor britânico. Dirigida por Armando Iannucci, a produção multipremiada no British Independent Film Awards – veja mais na nossa última Escalada do Oscar – traz Adrian McLoughlin como Josef Stalin, além de Steve Buscemi, Simon Russell Beale, Jeffrey Tambor, Andrea Riseborough, Olga Kurylenko, Tom Brooke e Paddy Considine no elenco.

 

  • O tom cômico aparece também no trailer de Mulheres Alteradas (2018), ao apresentar as personagens de Deborah Secco, Alessandra Negrini, Maria Casadevall e Monica Iozzi na adaptação brasileira dos famosos cartoons da argentina Maitena, nos anos 90. A comédia nacional abre o Cine-PE, no próximo dia 29 de maio, mas só estreia no circuito em 28 de junho.

 

  • Outro quarteto de mulheres alteradas, mas pela leitura de Cinquenta Tons de Cinza, que que apimenta a rotina de quatro amigas no trailer da comédia Do Jeito Que Elas Querem (2018) – assista na versão dublada – em que Diane Keaton, Jane Fonda, Candice Bergen e Mary Steenburgen, a partir de 14 de junho nos cinemas brasileiros, desafiam o que dizem sobre suas idades.

 

  • Há também uma ironia presente no trailer de Los Territorios, filme de Ivan Granovsky que acompanha a sua jornada cruzando territórios e fronteiras, após o ataque ao jornal Charlie Hebdo, em Paris, perseguindo diferentes eventos e conflitos geopolíticos ao redor do mundo e se igualar à figura do pai correspondente de guerra, o prestigiado jornalista Martin Granovsky. Além de passar pelo Brasil, o longa também contou com participação brasileira no roteiro de Michael Wahrmann e na pós-produção, incluindo a trilha sonora e desenho de som de Edson Secco.  Estreia por aqui em 7 de junho.

 

  • Quem também cruza o mundo e vai até a Califórnia em busca do professor de inglês (Josh Hartnett) que mudou a sua vida é Lucy, ou melhor, a japonesa Setsuko Kawashima (Shinobu Terajima) romance cômico-dramático que foi sensação em vários festivais, Oh, Lucy! (2017), e chega no dia 14 de junho no circuito.

 

  • Quem também esta se descobrindo, especialmente a sua sexualidade, mas ainda na adolescência é Alex Strangelove (2018), o garoto (Daniel Doheny) que dá nome ao novo filme, tipicamente de “high school” da Netflix, que estará disponível a partir de 8 de junho no serviço.

 

  • Outra novidade do serviço de streaming é a comédia romântica O Plano Imperfeito (2018), em que Harper (Zoey Deutch) e Charlie (Glen Powell) pretendem fazer aliviar a pressão de seus trabalhos e suas intermináveis horas extras fazendo seus respectivos chefes mandões (Lucy Liu e Taye Diggs) se apaixonarem. Só que as coisas não saem exatamente como planejado, como era de se esperar. Estreia na Netflix em 15 de junho.

 

  • A brincadeira de Jacob Tremblay traz de volta às telas e à Terra no trailer de O Predador (2018), novo filme da franquia, agora dirigido por Shane Black e com Boyd Holbrook, Olivia Munn e grande elenco se juntando para tentar combater os predadores alienígenas e salvar a Humanidade.

 

Compartilhar
Tweetar
Please reload

 Textos relacionados: 
Please reload

 últimas: 
Please reload

 siga o NERVOS: 
 @nervossite 
  • Twitter - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • SoundCloud - Black Circle
  • Deezer - Black Circle
  • Spotify - Black Circle
  • Branco RSS Icon
  • Twitter B&W
  • Facebook B&W
  • Instagram B&W